Exercício Funcional

O que é?

O nome Exercício Funcional pretende ser auto-explicativo. Traduzido do original em inglês, esse conceito de preparação do movimento tem por objetivo estar conectado à funcionalidade dos movimentos ou atividades motoras e trabalhar todas as capacidades físicas do indivíduo, como coordenação, equilíbrio, agilidade, força, resistência e consciência corporal. O exercício funcional também conhecido tecnicamente como CINESIOTERAPIA. É bastante utilizado na fisioterapia e em centros de reabilitação física por todo o mundo já há muitos anos.

Nesse método, trabalha-se de forma integrada e tem a ver com aprimorar a capacidade funcional do indivíduo nas atividades que lhe são próprias e específicas.

Hoje evoluiu para um conceito de preparo muscular e corporal mais amplo e abrangente que se destina não só ao atleta, mas principalmente ao indivíduo comum, que encontra nessa forma não convencional de exercícios, uma alternativa para ganhar tônus muscular, perder peso, sentir-se mais disposto e melhorar a performance nas atividades que realiza de forma mais específica, motivante e eficiente.

Com esse propósito, o Exercício Funcional ou "Treinamento Funcional" como vem sendo chamado pela educação física. Foi espalhando pelas academias de todo o país e estúdios particulares apresentando-se para esse meio como uma nova vertente do treinamento esportivo de alto rendimento que vem se aprimorando desde o começo dos anos 90. No início era um apanhado de técnicas oriundas da fisioterapia, onde ha anos são aplicados em centros de reabilitação física tais fundamentos buscando devolver a integridade e independência articular, muscular e ligamentar. Juntamente com a funcionalidade do movimento perdido.

Vários dos objetivos desse método de exercício representam uma volta à utilização dos padrões fundamentais do movimento humano (como empurrar, puxar, agachar, girar, lançar, dentre outros). Envolvendo a integração do corpo todo para gerar um gesto motor específico em diferentes planos de movimento.

Um exemplo contrário a esse método é o trabalho isolado do corpo para gerar um gesto motor específico, como visto na musculação tradicional.

Essa visão abrangente permite que o Exercício Funcional atinja o objetivo de controlar o sistema músculo-esquelético, sem abrir mão do aperfeiçoamento do sistema sensório-motor e proprioceptivo, geralmente esquecido pelas modalidades de exercícios convencionais. Além disso, a postura do corpo humano é controlada diretamente através destes órgãos sensitivos, que tem entre suas principais funções, a regulação do equilíbrio e a orientação do corpo no ambiente.

No entanto, esse trabalho visa aprimorar ou resgatar a eficiência do movimento humano para atividades do cotidiano, como subir em um ônibus que logo se movimenta, descer um degrau e pisar em um piso irregular, etc.

Utilizando a metodologia proposta e respeitando a individualidade biológica e a especificidade objetivada de cada um dentro dos princípios do trabalho, os movimentos que compõem o Exercício Funcional, realizados sobre uma biomecânica corporal correta, claramente poderão trazer os benefícios desejados pelo praticante, seja este um atleta profissional de alto rendimento, um atleta amador, um indivíduo fisicamente ativo, uma pessoa sedentária que deseja ingressar na atividade física ou uma pessoa que esteja iniciando um processo de reabilitação física.

Utilizando aparelhos alternativos ou acoplados aos aparelhos já existentes e tão conhecidos, exigirão de maneira mais significativa dos proprioceptores corporais para a execução das atividades. Contudo, os exercícios podem ser realizados com o peso do próprio corpo, cabos, elásticos, pesos livres, base de suporte instável e reduzida, medicine balls (bolas com peso), bolas suíças, dentre muitos outros. Trazendo benefícios mais significativos à capacidade funcional do corpo.

São exercícios bastante motivacionais e desafiadores, onde o indivíduo que segue esse método, acompanhado de um instrutor capacitado, graduado em Fisioterapia ou Educação Física, tem a possibilidade de alcançar a funcionalidade corporal natural de seu organismo, além de gerar um corpo saudável, harmônico e bem condicionado fisicamente.

Vale ressaltar que cada profissional seguirá uma metodologia de trabalho dentro das suas especialidades técnicas. Ou seja, o Exercício Funcional realizado sob supervisão de um Fisioterapeuta é completamente diferente do treinamento realizado por um educador físico. Não gerando com isso uma diferença considerável no conteúdo do treinamento entre uma ou outra especialidade técnica, apenas os resultados seguirão a proposta que cada especialidade profissional se propõe a realizar e alcançar.

Porem, para se alcançar o efetivo resultado do Exercício Funcional é indispensável o empenho e a dedicação do praticante.

O programa de exercícios funcionais traz vários benefícios tanto ao corpo como também à mente. Pensando nisso, elucidamos alguns dos muitos benefícios do método:

- Desenvolvimento da consciência sinestésica e controle corporal;
- Melhoria da postura;
- Melhoria do equilíbrio muscular;
- Diminuição da incidência de lesão;
- Melhora do desempenho atlético;
- Estabilidade articular, principalmente da coluna vertebral;
- Aumento da eficiência dos movimentos;
- Melhora do equilíbrio estático e dinâmico;
- Melhora da força, coordenação motora;
- Melhora da resistência central (cardiovascular e pulmonar) e periférica (muscular);
- Melhora da lateralidade corporal;
- Melhora da flexibilidade e propriocepção;

Dentre outras qualidades necessárias e indispensáveis para a eficiência diária e esportiva.

Vale apena lembrar que uma anamnese e uma minuciosa avaliação funcional prévia e se possível através de registros fotográficos ou de vídeos, deve ser realizada para que se possam saber quais destas qualidades e quais os padrões de movimentos necessitarão de mais atenção na prescrição dos exercícios, e assim, serem estimuladas corretamente.

Redes Sociais



Siga-nos também nas
Redes Sociais!

Webmail

Acesse aqui a sua Caixa Postal.
Área Restrita.